Segurança

INSTRUÇÕES GERAIS

A organização de emergência do edifício do Colégio Dinis de Melo está perfeitamente definida e estruturada permitindo a harmonização das ações a desenvolver em caso de incêndio, mitigando assim os riscos para os seus ocupantes bem como diminuindo a probabilidade de propagação do mesmo.

As instruções gerais destinam-se a todos os possíveis ocupantes do estabelecimento (funcionários, visitantes, familiares e utentes).

1- EVACUAÇÃO DOS ALUNOS

Caso seja ordenada a ordem de evacuação deve-se:

  1. Manter a calma e seguir as instruções do Chefe Fila e Coordenador de Piso;
  2. Abandonar o material escolar e seguir em fila indiana atrás do Chefe de Fila;
  3. Caminhar em passo apressado, sem correr;
  4. Não voltar para trás.

2- EM CASO DE INCÊNDIO

Se detetar um foco de incêndio, independentemente do que o causou:

  1. Dar o alarme convencionado;
  2. Mantenha-se calmo, não grite nem corra;
  3. Comunique rapidamente a localização da ocorrência ao Responsável de Segurança, para que este decida sobre a evacuação parcial ou total do edifício;
  4. Utilize os meios de 1ª intervenção, sem colocar em risco a sua própria segurança;
  5. Se não conseguir dominar o sinistro, abandone imediatamente o local. Em caso de incêndio feche as portas e janelas sem as trancar
  6. Dirija-se para a saída seguindo o caminho de evacuação;
  7. Caso o local se encontre com fumos, baixe-se para evitar inalá-los;
  8. Se o fogo atingir a sua roupa, estenda-se no chão e role sobre si próprio.

Se ouvir o sinal de alarme:

  1. Dirija-se calmamente para a saída seguindo a sinalização de emergência (caminhos de evacuação);
  2. Antes de abandonar os compartimentos deve-se verificar se não existe alguém dentro;
  3. Siga as instruções e não volte atrás sem autorização.

3- EM CASO DE SISMO

  •  Seguir os três gestos básicos de proteção:
  1. Baixar – baixar sobre os joelhos, colocando-se debaixo de uma mesa, vão de uma porta ou num canto de uma sala, evitando proximidade com as janelas, móveis ou candeeiros;
  2. Proteger – colocar os braços e mãos por cima da cabeça;
  3. Aguardar – aguardar até acabarem as réplicas.
  • Acalmar os colegas contando alto e devagar até 50;
  • Proceder à evacuação assim que pararem as réplicas.

EQUIPA DE EVACUAÇÃO

Equipa de Evacuação tem a responsabilidade de:

  • Encaminhar todos os elementos que não detenham qualquer função de emergência pelos caminhos de evacuação;
  • Garantir que ninguém volta para trás;
  • Acompanhar os evacuados até às saídas de emergência e posteriormente até aos pontos de encontro;
  • Confirmar o número de pessoas que se encontra no local.

Dentro desta equipa de evacuação é de destacar os coordenadores de piso, sinaleiros, cerra filas e o chefe de fila:

Cabe ao Coordenador de Piso:

  1. Coordenar toda a evacuação;
  2. Certificar-se que ninguém fica nas instalações sanitárias e arrumos, fechando as portas e janelas dos respetivos compartimentos verificados.
  3. Em situações que existam vítimas, deverá identificar o local e manter a porta aberta para uma mais rápida identificação por parte dos meios de socorro internos ou posteriormente externos.
  4. Após a evacuação total, este coordenador de piso ficará o mais próximo possível da entrada onde se localizam as saídas de emergência, de forma a não constituir nenhum risco para a sua integridade física, garantindo a não entrada de ninguém nas instalações.
  5. Deverá ainda informar os outros coordenadores e Delegado de Segurança e Responsável de Segurança da evacuação total.
  6. Após a chegada dos bombeiros, abandonará este local.

Cabe ao Chefe de Fila, ou seja, o Delegado de Turma:

  1. Ao iniciar cada aula deve registar no canto superior do quadro, o número de alunos e professores presentes na sala de aula e o número do ponto de encontro da turma.
  2. Proceder à evacuação da sua respetiva turma para o exterior do colégio;
  3. Dirigir os colegas até ao ponto de encontro de forma calma;
  4. Contabilizar os elementos que evacuaram da sua sala e informar o Coordenador do respetivo piso no ponto de encontro.

Cabe ao Cerra Fila, ou seja, o professor da turma ou o Subdelegado de Turma, que irá no fim da fila respetiva:

  1. Certificar-se que todos os alunos procederam à evacuação;
  2. Verificar que janelas e portas ficam fechadas;
  3. Impedir o retorno de qualquer aluno à sala;
  4. Quando sair da sala fecha as janelas e portas como sinal de que aquela sala foi evacuada.

Cabe aos Sinaleiros, professores/funcionários que estarão na sala mais próximas das escadas:

  1. Localizarem-se nos locais críticos como cruzamento de corredores ou escadas;
  2. Orientar os ocupantes do edifício para a saída de evacuação.

Cabe ao Responsável de Segurança (RS):

  1. Avaliar a necessidade de evacuação total ou parcial;
  2. Comunicar a sua decisão aos coordenadores de piso;
  3. Ordenar a comunicação do alerta às entidades externas;
  4. Comunicar aos coordenadores de piso a necessidade de efetuar os cortes de energia.

PROCEDIMENTOS DE EVACUAÇÃO

Os procedimentos de evacuação são levados a cabo por equipa constituída única e exclusivamente para esse efeito – Equipa de Evacuação.

A coordenação da evacuação das turmas é feita pelo professor com a ajuda do Chefe de fila e Cerra fila. Em caso de evacuação o Chefe de fila segue à frente da turma respeitando o percurso de evacuação indicado, enquanto o Cerra fila e o professor são os últimos a sair (de forma a certificarem-se de que não fica ninguém, a socorrer algum aluno que precise e a verificar que janelas e portas ficam fechadas).

  1. O caminho de evacuação a realizar em função da sala em que se encontram.
  2. Para evitar congestionamento na evacuação, os Chefes de Fila das salas situadas na fachada “Sul”  (3.4, 3.5, 3.6, 3.7, 3.8, 3.9, 3.10; 2.4, 2.5, 2.6. 2.7, 2.8, 2.9, 2.10) devem sair pela pela escada desse lado do corredor e dirigirem-se para o exterior pela frente do colégio, até ao ponto de encontro, situado no campo de futebol.
  3. As restantes salas serão evacuadas, dirigindo-se para o piso zero para a parte de trás do colégio.
  4. Os alunos do terceiro piso circularão numa fila única, sempre pelo lado de dentro das escadas e os do segundo, também em fila única, pelo lado exterior das escadas.)
  5. Após o toque de alarme, os alunos deverão sair em fila indiana e dirigir-se em passo apressado, com calma e serenidade, para os pontos de encontro acompanhados pelo professor, seguindo os percursos indicados no Plano de Evacuação;
  6. No exterior, os alunos deverão manter-se afastados do edifício e dos postes de eletricidade.
  7. Os alunos manter-se-ão no ponto de encontro sempre junto do professor até à chegada do responsável pelo órgão de gestão que anunciará o final do exercício.
  8. Pontos de encontro:

PANFLETO- APRENDER SEGURANÇA

 

Exercício “A TERRA TREME”

A TERRA TREME é um exercício que pretende alertar e sensibilizar a população para agir antes, durante e depois da ocorrência de um sismo. Durante um minuto, a população deverá praticar os 3 gestos que podem salvar vidas em caso de sismo - Baixar, Proteger e Aguardar.

O dia 13 de outubro, Dia Internacional para a Redução de Catástrofes, costuma ser assinalado com a realização do exercício público de prevenção do risco sísmico A TERRA TREME.

Este ano, o exercício nacional A TERRA TREME realiza-se no próximo dia 5 de novembro, pelas 11h05.

Esta atividade, integrada no âmbito da Educação para a Cidadania, tem ainda como finalidade desenvolver e reforçar uma cultura de segurança, promovendo uma cidadania ativa e participativa desde cedo nas crianças e jovens dos vários níveis de educação e ensino.

Para mais informações consultar http://www.aterratreme.pt/

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com