Ó tia, dá bolinho?

O dia 1 de novembro, dia de Todos-os-Santos, é também Dia do Bolinho (como é chamado na nossa região).

Este dia é dedicado a homenagear todos os que já partiram. Por norma, as famílias portuguesas enfeitam as campas dos seus familiares nos cemitérios e ao longo do dia primeiro de novembro visitam os cemitérios para deixar ramos e velas nas lápides. Antes da visita ao cemitério, realizam-se missas nas paróquias e em seguida, faz-se uma procissão até ao cemitério.

O dia 1 de novembro também é conhecido como o Dia de Pão por Deus, uma data muito aguardada pelas crianças, que saem às ruas com um saquinho a fim de recolher ofertas, como castanhas, nozes, figos e doces.

Para receber os bolinhos, as crianças preparam belos saquinhos coloridos.

Desafiamos-te a fazeres o teu ou trazeres um para a exposição dedicada a esta tradição portuguesa. O saco tem de ser de papel ou tecido. (Entrega o saco na Biblioteca)

Para chegarem a casa com bolos, bolachas, frutas, chocolates, frutos secos ou outros, as crianças devem dizer uma espécie de oração aos moradores das casas, como os seguintes exemplos:

“Pão por Deus,
Fiel de Deus,
Bolinho no saco,
Andai com Deus.”

“Ó tia, dá Pão-por-Deus?
Se o não tem Dê-lho Deus!”

"Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz

Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho."

Quando se recebe algo:

"Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho."

Quando não se recebe nada:

"Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto."

Fonte: calendarr.com